Como é o interior da Villa Savoye de Le Corbusier?

· 5 de maio de 2019
A Villa Savoye se consolidou como uma das grandes obras da história da arquitetura. A funcionalidade e a proporcionalidade ficam evidentes através do seu design interior.

Se você conhece a história da arquitetura racionalista, provavelmente já se perguntou como é o interior da Villa Savoye de Le Corbusier. É considerada uma das grandes obras arquitetônicas do século XX, pois mudou completamente a concepção de arte.

Como regra geral, conhecemos o exterior destas obras: a sua estética, morfologia e estrutura. No entanto, não conhecemos o layout interno. Afinal, não deixa de ser um espaço privado menos visível para a população.

A riqueza deste estilo artístico reflete-se na distribuição interna, em sua história e organização. Como resultado, trata-se de um tipo de design de interiores que poderíamos chamar de uma autêntica obra de arte. Le Corbusier ficou conhecido por grandes obras como esta.

Concepção da planta da Villa Savoye

Concepção da planta da Villa Savoye
Planta da Villa Savoye / slikvik.com

O design engana bastante. Assim como é observado na planta interna, a estrutura é formada por um quadrado sustentado por pilares que cercam a casa interna, que é habitável e conta com os recursos necessários para viver.

O racionalismo é o princípio fundamental sobre o qual esta arquitetura é sustentada. A planimetria configura-se por uma residência quadrangular, onde as linhas retas predominam sobre as curvas. Na parte inferior conforma-se um primeiro andar que rompe com tanta linearidade.

Objetivamente, o que se pretende alcançar é a diafaneidade do espaço. É fundamental para Le Corbusier que haja abertura e aproveitamento máximo de todo o espaço. Não há dúvida de que a inteligência e a criatividade estão presentes através do que é correto.

 A arquitetura é o jogo sábio, correto e magnífico dos volumes sob a luz.

-Le Corbusier-

Parte inferior: liberdade de carga

A Villa Savoye é uma autêntica "Máquina de habitar"
Andar térreo da Villa Savoye / lomography.es

O andar térreo possui apenas pilares cilíndricos que elevam a casa em altura, como se estivesse flutuando. As paredes estruturais foram removidas e o piso inferior foi liberado. Quais características encontramos aqui?

  • A funcionalidade predomina essencialmente. O objetivo fundamental é obter uma construção bem condicionada para habitar, adaptando a estrutura à escala das pessoas para proporcionar maior conforto.
  • Os pilares elevam a casa, de tal maneira que se produz uma diafaneidade muito interessante, podendo ser utilizada para outras funções diversas e indeterminadas. Trata-se de aproveitar o espaço ao máximo.
  • Na parte inferior localiza-se uma área privada com janelas de vidro arredondadas que atuam de forma a dinamizar a estrutura frente ao quadrado superior da residência. Existe conexão direta por escadas e a possibilidade de estacionar carros.

A Villa Savoye é uma autêntica “Máquina de habitar”.

O segundo andar: a adaptação correta

A principal intenção de Le Corbusier é adaptar-se corretamente às proporções da escala humana
Villa Savoye / dezeen.com

Como já dissemos anteriormente, a principal intenção de Le Corbusier é adaptarse corretamente às proporções da escala humana, isto é, uma casa que seja perfeita para morar e que esteja disponível da melhor maneira possível para os seus inquilinos. Assim, o segundo piso da Villa Savoye é composto pelas seguintes características:

  • Nota-se um piso diáfano, onde as paredes divisórias são livres e alguns cômodos são complementados com outros para, assim, manter um equilíbrio.
  • A janela é uma característica fundamental: configura-se como um conceito amplo, de formato longo e arredondado, para que o interior seja bem iluminado, com luz natural suficiente durante o dia e uma conexão direta com o exterior. É uma autêntica revolução arquitetônica.
  • Todos os cômodos apresentam certa conexão. Portanto, trata-se de aproveitar ao máximo o andar e não deixar espaços vazios, ou perder um quarto devido à má distribuição. Neste caso, a funcionalidade predomina e a organização doméstica é a intenção principal.

O terraço da Villa Savoye: uma mistura de sensações

A Villa Savoye é considerada uma das grandes obras arquitetônicas do século XX
Terraço da Villa Savoye / temasycomentariosartepaeg.blogspot.com

O acesso ao terraço tem um estudo prévio muito sofisticado, tentando conduzir o morador de forma sutil através de um pequeno caminho. Assim, faz-se uso de uma rampa conectada diretamente à parte superior.

Mistura tanto o ambiente interior como o exterior, ou seja, há áreas para desfrutar ao ar livre e da natureza, pois há canteiros preparados para colocar plantas e dar um aspecto natural ao terraço.

As janelas amplas são bem características da Villa Savoye. Como resultado, rompem por completo o conceito de hermetismo com o intuito de alcançar um diálogo com a natureza. Além disso, na parte mais alta encontra-se um solarium branco.

Tournikiotis, Panayotis: La historiografía de la arquitectura moderna, Madrid, Celeste, 1999.