A luz como um meio de expressão decorativa

20 de março de 2019
A iluminação não pode faltar em uma casa. Existem diferentes tipos e cada um pode contribuir de uma forma ou de outra com sensações e significados.

Na decoração de uma casa, há um diálogo entre os diferentes componentes: móveis, plantas, cores, paredes, piso, etc. Mas há algo que não pode faltar e que cumpre com uma missão crucial: estamos nos referindo à luz como um meio de expressão decorativa.

Na verdade, nenhum espaço poderia existir se não houvesse a luz. Ela determina as formas dos diferentes elementos que compõem uma casa. Pode contribuir com significados e conteúdos e, além disso, também contribui na decoração.

Por sua vez, pode ser trabalhada a partir de diferentes perspectivas e oferece diferentes tipos de expressão para a casa. De fato, ela traz uma estética única, mas sempre dependendo do tipo de iluminação aplicada.

Luz quente através de abajures

Luz quente através de abajures

Os abajures que são colocados em mesas baixas, como os abajures dos quartos ou aqueles que ficam na sala ao lado do sofá, fornecem um tipo distinto de iluminação em comparação com as luzes de teto, que geram uma luz mais ampla e generalizada.

Então, o que eles podem fornecer? Um significado mais simples, gerando um clima mais relaxado, calmo e tranquilo. É a luz ideal para um momento de tranquilidade.

Quanto à sua combinação com os móveis, poderá haver uma conexão direta com qualquer tipo de cor. Certamente, não é conveniente colocá-los em áreas altas, é melhor que estejam sempre a uma altura média, que seja confortável para o nosso corpo.

– A luz pode contribuir significativamente na decoração. –

A iluminação de teto

A luz de teto

Por outro lado, há a luz vinda do teto. Neste caso, não podemos falar de um ponto exato para o qual o foco de luz é direcionado, mas sim de uma expansão generalizada.

  • A própria cúpula da luminária filtra a luz, direcionando-a para o chão em uma certa medida, mas a partir daí ela irradia para todo o espaço.
  • Ajuda a realçar as forma dos móveis, realça as cores e favorece uma visão ampla do todo. De qualquer forma, é interessante que sejam sempre lâmpadas quentes, principalmente para a sala de estar, onde é possível ganhar mais expressão na decoração.

Iluminação natural: a melhor para as pessoas

Iluminação natural, a melhor para as pessoas

Sem dúvida, a luz natural que entra através das nossas janelas é mais saudável e também pode ter uma presença determinante dentro de casa. Quais recursos ela pode oferecer?

  • Calma e tranquilidade: obviamente, a luz solar nos proporciona vitaminas e dá uma cor diferente à casa, realça as figuras e traz calor. Ao mesmo tempo, gera determinadas sombras que transformam os móveis em “esculturas”.
  • Os tons ganham mais naturalidade em comparação com as luzes artificiais, especialmente os tons escuros, sendo possível ver melhor a cor e a sua essência. De fato, as luzes artificiais podem distorcer a realidade.
  • Certamente, permite uma considerável economia de energia elétrica e ajuda o nosso bolso.

Luz branca com característica funcional

Luz branca com característica funcional

Utilize luzes brancas para ganhar em funcionalidade e incentivar a atividade entre as pessoas. Elas não fornecem a mesma sensação que as luzes quentes, aliás, ocorre exatamente o contrário.

  • Focos muito mais diretos e com grande potência. Uma maior direcionalidade é gerada sem realçar as formas da mesma maneira que outras luzes mais tênues.
  • Tenta dar ao espaço um sentido muito mais funcional, sem caráter estético e iluminando de forma intensa.
  • É um tipo de iluminação que se encaixa muito bem em cozinhas, depósitos, despensas, etc. É perfeita para locais de trânsito, mas não para aqueles em que você procura calma ou tranquilidade, já que gera uma maior tensão.
  • No caso dos banheiros, proporciona uma sensação de higiene e realça o branco dos vasos sanitários.

Os focos de luz: direcionalidade estética

Os focos de luz: direcionalidade estética

Talvez você goste da iluminação fornecida por alguns bons focos de luz; no entanto, o problema está no seu posicionamento: onde colocá-los? Tenha esses fatores em mente ao construir a estética interior da sua casa:

  • Eles podem ser colocados em determinados lugares onde você queira destacar um elemento específico. Por exemplo, um quadro, uma escultura, vasos, etc. Dessa forma, é possível atribuir protagonismo ao objeto que recebe a luz.
  • Caso você queira simplesmente usar a luz dos focos, poderá colocá-los no teto iluminando em direção ao chão. No fim das contas, eles não vão distribuir a luz de uma forma generalizada, mas você terá um espaço tranquilo.

Sudjic, Deyan: La luz y el color en la decoración, Folio, 1992.