Os 6 princípios básicos do design de interiores

21 de novembro de 2019
O design de interiores está totalmente ligado com a decoração; ainda que cada pessoa tenha os seus gostos e preferências, existem 6 princípios básicos que devem ser seguidos para ter sucesso na decoração do ambiente.

Os 6 princípios do design são aplicados em muitas áreas profissionais. Não são usados somente em design de interiores, mas também em design gráfico, por exemplo.

Antes de falar sobre estes 6 princípios básicos, é necessário fazer uma distinção entre design de interiores e decoração de interiores.

Isso é necessário porque, embora em muitas ocasiões eles sejam usados da mesma forma, não são a mesma coisa.

O que é o design de interiores? E a decoração de interiores?

A diferença reside basicamente no fato de que o design de interiores requer conhecimento sobre estruturas, arquitetura, funcionalidade, etc. de edifícios ou cômodos.

A missão do design de interiores pode abarcar desde uma nova obra até uma reforma ou restauração.

Enquanto isso, a decoração de interiores é o fato de usar o espaço de forma adequada e funcional para colocar os móveis e a decoração em geral.

São conceitos diferentes e cada um deles tem o seu papel. Certamente, muitos designers de interiores são altamente qualificados para decorar. Por isso, nem sempre é preciso contratar um decorador.

No entanto, em muitas outras ocasiões, o designer de interiores tem que trabalhar de mãos dadas com o decorador.

A decoração de interiores é uma faceta a mais do design de interiores.

Não resta dúvida de que estes 6 princípios do design podem lhe ajudar tanto no design de interiores quanto na sua decoração. Da mesma forma, eles podem ser aplicados a qualquer área artística.

Os 6 princípios do design são:

Princípio 1: ênfase/ponto focal

Consiste em dar destaque a um elemento ou ponto do cômodo através da cor e do tamanho.

A fim de identificar o ponto focal, basta entrar no cômodo e estar consciente para onde a nossa atenção se volta.

Podemos enfatizar elementos naturais e, se acaso não os tivermos, criamos pontos focais artificiais, como por exemplo, lareiras.

Através de diferentes tamanhos ou pontos de cor, daremos mais destaque e atenção a certos elementos, quebrando assim a hierarquia visual e incentivando outros pontos de interesse.

Ponto focal do design

Princípio 2: balanço/equilíbrio

Este princípio do design mantém a harmonia. Um espaço em equilíbrio ou balanceado dá sensação de algo concluído, de descanso.

Para ter essa sensação, é importante como e onde os elementos estão localizados dentro do cômodo.

Existem dois tipos de equilíbrio:

  • O formal: também conhecido como equilíbrio simétrico, causa um efeito de imagem desobstruída.
  • O informal: faz uma referência à assimetria. Neste tipo de equilíbrio, elementos com o mesmo peso visual são utilizados, embora de diferentes formas. Isso traz cordialidade e casualidade.

Princípio 3: ritmo/movimento

Este princípio do design é importante porque faz com que nossos olhos percebam o conjunto de elementos como um todo unificado.

O ritmo ou movimento é a facilidade com que os nossos olhos passam de um elemento para outro.

Existem duas maneiras de aplicar este princípio:

  • Através de elementos dispostos de forma radial.
  • Colocando elementos de forma linear.

O ritmo é criado através de sequências de formas, cores ou texturas.

Ritmo/movimento

Decoração radial / allmodern.com

Princípio 4: proporção/escala

Este princípio é muito importante porque o que se quer alcançar é que existam no ambiente objetos ou elementos que sejam proporcionais ao espaço. Isto é, não devem ser nem muito grandes nem muito pequenos, mas sim do tamanho adequado.

Formas de aplicar este princípio:

  • Tamanho: elementos de diferentes dimensões relacionados entre si.
  • Proporção: elementos relacionados entre si e que também sejam visualmente harmônicos.
  • Divisão: elementos divididos em diferentes tamanhos que formam uma unidade.

Princípio 5: harmonia/sucessão

Este princípio defende a consistência de tamanhos e formas, assim como a harmonia entre cores e padrões.

Isto é conseguido repetindo elementos ao longo do cômodo, variando e alternando com outros itens.

Mas tenha cuidado porque tanta repetição pode se tornar monótona, e muita variação provoca uma sensação de instabilidade. Por isso, a chave para um bom design é encontrar a mistura correta.

Harmonia/sucessão na decoração

Princípio 6: simplicidade/complexidade

Este princípio se refere ao modo como distribuímos os elementos.

  • Simplicidade: os elementos estão dispostos de forma organizada e ordenada, seguindo um padrão.
  • Complexidade: os elementos são dispostos de forma desordenada, não seguem uma lógica.

Conclusão

A chave para que um design ou decoração seja bem-sucedido é aplicar esses princípios do design. Eles são, de fato, princípios lógicos e fáceis de aplicar na nossa casa.