Como era a decoração das casas na Roma Antiga?

· 17 de abril de 2019
Na época do Império Romano havia uma forte tendência de decorar as casas e de proporcionar um aspecto formal e atraente, mediante diferentes recursos.

Historicamente se poderia dizer que na época do Império Romano ocorreu um grande desenvolvimento urbanístico e floresceu o gosto pela arte sofisticada. As residências se tornaram cada vez mais confortáveis e melhores; mas é possível sabermos como era a decoração das casas na Roma Antiga?

As cidades evoluíram muito desde aquela época. Naquele tempo começaram a se desenvolver muitos dos tipos de construção que chegaram até os nossos dias, inclusive a distribuição dos cômodos da casa.

Os romanos tinham uma especial atração pela estética. É preciso levar em consideração que as casas eram locais destinados a recepção dos convidados; nelas eram realizados banquetes e firmados negócios. Por isso, as domus se tornaram referência no design de interiores.

Contexto histórico da Roma Antiga

decoração romana

Decoração romana / pinterest.es

Em primeiro lugar, é preciso fazer menção à História da época para situar o Império Romano cronologicamente. Ele começou a se desenvolver a partir do século III a.C; embora a sua fundação e estabelecimento tenha acontecido no século I a.C.

As cidades começaram a se desenvolver e foram construídas edificações chamadas de insulae. Consistiam de blocos de residências onde morava a população de classe média. Há registros sobre a importância que davam a decoração interior.

No entanto, o maior desenvolvimento do design de interiores ocorreu nos palácios e nas vilas romanas, onde as pessoas abastadas enfeitavam as suas casas com objetos de luxo e, até mesmo, com pinturas murais. Isso aconteceu, sobretudo, a partir do século I a.C.

– O Império Romano nos deixou um legado histórico e artístico incomparável. –

A decoração estrutural de uma domus na Roma Antiga

O mundo do design de interiores na Roma Antiga era muito heterogêneo. O estilo e a estética antiga existente em cada residência dependiam do gosto do proprietário, embora costumasse ser atribuído à mulher o interesse pela decoração.

  • Os cômodos eram amplos, o que demandava a utilização de muitos recursos para decorar cada canto do ambiente.
  • As paredes podiam ser pintadas tanto com motivos geométricos quanto com cenas mitológicas. Isso pode ser corroborado pelas ruínas encontradas em Pompeia. A cor vermelha era muito recorrente.
  • Os pisos eram autênticas obras de arte decoradas com mosaicos. Eram utilizadas peças de diferentes cores que juntas retratavam cenas, animais, pessoas, figuras geométricas, símbolos, etc.
  • Os telhados costumavam ser feitos de madeira, embora, às vezes, utilizassem o sistema de abóbodas. Eles eram sustentados por vigas expostas, que também podiam ser pintadas.
mobiliário estilo romano

Mobiliário estilo romano / pinterest.es

Os móveis

No que se refere aos móveis, a madeira era o principal material utilizado na sua fabricação. Eles dominavam a técnica do entalhe, o que lhes permitia serem capazes de fabricar móveis de alta qualidade e com estética atraente.

  • Os armários e os baús eram móveis que tinham uma grande presença nos cômodos: quartos, salas de estar, etc.
  • O triclínio costumava ser um elemento indispensável para o descanso. Os quartos e as salas de reunião costumavam tê-lo, o que permitia aos presentes recostar, sem deixar de lado o máximo conforto possibilitado pelo uso de almofadas feitas com tecidos coloridos.
  • Luminárias de chão a óleo para iluminar os cômodos: eram fabricadas com metal dourado, com o intuito de enfeitar ainda mais a casa. Havia uma clara tendência em utilizar tons brilhantes: ouro e prata.
  • O scriptorium era o escritório do dono da casa, isto é, o local de trabalho onde havia uma mesa simples para realizar os seus afazeres. Era decorado com amuletos, estatuetas, candelabros, etc.

Outros recursos decorativos

banheiro na roma antiga

Banheiro romano / pinterest.es

Para mostrar uma estética imperial e atraente existem muitos outros elementos que costumavam decorar as vilas romanas, tanto os cômodos quanto os corredores, já que eram casas de grandes dimensões.

  • Esculturas: sem dúvida foi a técnica artística que mais se disseminou nessa época. Normalmente, uma pessoa abastada tinha bustos representativos de si mesmo. Além disso, tinham esculturas de deuses e do imperador.
  • Tigelas, jarras e pratos: muitos desses objetos eram comprados em mercados e outros eram trazidos de outras regiões do mundo na forma de lembrança, especialmente dos territórios que eram conquistados.
  • Fontes: podiam ficar dentro da própria casa, já que os romanos davam grande importância à água.

Em suma, o Império Romano deixou um legado muito interessante. Não resta dúvida que eles tinham sensibilidade estética e artística, o que nos permite manter as tradições decorativas daquela época até os dias de hoje.

Bianchi-Bandinelli, R.; Torelli, M.: El arte de la antigüedad clásica, Akal, 2000.

Jenkins, Ian: La vida cotidiana en Grecia y Roma, Akal, 1997.