8 dicas para escolher bem a cozinha

· 7 de março de 2019
Escolher bem sua cozinha tem a ver com seu gosto, com funcionalidade e, é claro, com seu orçamento. Confira algumas dicas.

A cozinha é um dos cômodos mais importantes da casa. É nela que preparamos os alimentos para toda nossa família ou amigos. É necessário escolher bem a cozinha para que se adapte perfeitamente aos nossos gostos e necessidades. Isto não é nada fácil.

É por isso que hoje traremos oito dicas para ajudá-lo a escolher bem a cozinha nova da sua casa.

1. O estilo

Em outras ocasiões, já falamos dos diferentes estilos de decoração de casas.

Quanto as cozinhas, podemos falar dos mesmos estilos. Por isso, escolha o que você mais gosta e que combine com o restante da sua casa.

Deve haver uma coerência entre a cozinha e a decoração da casa.

A tendência nos últimos anos são as cozinhas de cores brilhantes, como vermelho ou violeta, com armários modernos. Por outro lado, encontramos também as cozinhas industriais com muito aço inoxidável em combinação com outros metais como o cobre.

cozinha estilo industrial
Cozinha industrial / thebestindesign.net

2. Cuidado com as medidas

Antes de sair pesquisando o mundo das cozinhas em diferentes lojas, é fundamental primeiro medir o seu espaço.

É importante medir largura e comprimento, assim como a altura do chão ao teto. Não se esqueça de medir os espaços onde ficarão os grandes eletrodomésticos (geladeira, forno, lava-louças, fogão).

Meça duas vezes, compre uma vez.

Leve essas medidas para ter certeza de que todos os elementos da cozinha caberão no espaço.

3. Não escolha os móveis somente no final da obra

É importante que antes de começar a obra, você já tenha escolhido os móveis da cozinha.

Isso porque, antes de colocar os azulejos e o piso, é preciso saber o seguinte:

  • O tamanho dos móveis.
  • Onde ficarão os eletrodomésticos.
  • Onde ficarão as tomadas de luz e água.

Leve em conta que se você quer colocar algum tipo de iluminação ou tomada em um lugar específico como debaixo dos móveis, precisará de uma instalação elétrica, por menor que seja. Por isso, não se esqueça dos pequenos detalhes.

4. Distribuição da cozinha

Para espaços estreitos e compridos, o mais conveniente na hora de escolher bem a cozinha é pensar no cômodo em linha, com uma das paredes com os móveis e a outra não, para não sobrecarregar o espaço.

Nas cozinhas em linha são mais do que recomendáveis os móveis altos, quase até o teto. Assim, você terá bons espaços de armazenamento.

Se o que temos é um espaço comprido e largo, poderemos ter uma cozinha com uma distribuição em paralelo.

Esse tipo de distribuição exige que os espaços entre os móveis sejam escolhidos com cuidado, para que não fiquem muito estreitos, atrapalhando a passagem.

As cozinhas distribuídas em L oferecem um bom espaço de trabalho e, além disso, muitas vezes, um lugar para as refeições.

A distribuição da cozinha depende do tamanho do espaço. Por isso, há diferentes formas de distribuir os móveis. 

A distribuição em U é aconselhável, principalmente, para espaços grandes. No entanto, também poderá ser adaptada para espaços pequenos.

Nos espaços menores, essa distribuição fica muito bem, porque oferece um bom aproveitamento do lugar.

Muitas dessas cozinhas têm um pequeno escritório ou até uma pequena ilha.

Por último, e não poderia ser diferente, temos as cozinhas com uma grande ilha central.

Definitivamente, esse tipo de distribuição é a favorita de muitas pessoas. Isso porque é muito espaçosa e permite realizar outras atividades no espaço além de cozinhar.

5. O triângulo de trabalho

Esse triângulo é formado pela área para cozinhar, a geladeira e a fonte de água. A nossa eficácia e produtividade na cozinha depende de como possamos nos movimentar de uma área a outra.

De acordo com os especialistas, na hora de escolher bem a cozinha, é fundamental prestar atenção no triângulo de trabalho. Por isso, é recomendável que entre cada uma das partes do triângulo haja de 60 a 90 cm de separação, dependendo do tamanho da cozinha.

triângulo de cozinha

6. Os armários

Os armários são uma parte fundamental da cozinha. Por isso, você deverá escolher não somente os que mais gostar, mas também os mais funcionais.

É sempre necessário um bom armazenamento na cozinha. Por isso, os armários precisam ter muito espaço.

Para dar uma sensação de amplitude na cozinha, as portas transparentes são as melhores.

Outro ponto para prestar atenção é escolher armários que sejam de fácil abertura e com puxadores seguros, caso tenhamos crianças em casa.

7. O material

O melhor material para a cozinha tem a ver também com a praticidade e funcionalidade.

Hoje em dia existem muitos materiais para a cozinha, mas sem dúvida, você deverá escolher um material que seja de fácil limpeza e manutenção.

Além de serem resistentes ao passar do tempo, devem resistir também ao fogo.

Outro aspecto importante é que, na medida do possível, o material disfarce as manchas e sujeira. Isso porque o objetivo é aproveitar, e não se tornar escravo da limpeza da cozinha.

8. Os eletrodomésticos

Podemos dizer que os eletrodomésticos são os acessórios das cozinhas. Sem eletrodomésticos, a cozinha fica incompleta e nada funcional.

Na hora de escolher o que utilizar em sua cozinha, é importante que você leve em conta o seguinte:

  • Marcas: antigamente costumava-se ter todos os eletrodomésticos da mesma marca. Hoje em dia, não precisa ser assim. Combine marcas diferentes e tire o melhor de cada uma delas.

Muitos estabelecimentos vendem eletrodomésticos de marcas alternativas, que têm a mesma funcionalidade e um preço menor. Dependendo do seu orçamento, você poderá escolher um ou outro.

  • Eficientes energicamente: vivemos em um mundo no qual as pessoas estão cada vez mais conscientes dos problemas ambientais. Economizar em energia significa ajudar o planeta.

Por isso, certifique-se de que os eletrodomésticos comprados tenham um baixo consumo de energia. A sua eficácia pode ser vista nas etiquetas de qualificação energética. A qualificação A+++ é a mais eficiente.

Em geral, esses eletrodomésticos são mais caros, mas a longo prazo, significarão uma economia de energia.

  • O tipo de cozinha: ou seja, como queremos que seja a área para cozinhar. Existem três principais tipos: a gás, vitrocerâmica e indução.

Os tipos de cozinha

As cozinhas a gás são mais práticas e rápidas para cozinhar. No entanto, há o risco de vazamento de gás.

cozinha a gás
Cozinha a gás / linea3cocinas.com

A placa vitrocerâmica e a de indução são diferentes no modo de funcionamento e no gasto de energia.

A vitrocerâmica é uma placa de vidro que esquenta recipientes de todo tipo de forma gradual. O aquecimento é lento e o esfriamento também. Além disso, traz um gasto de energia importante.

Por outro lado, a placa de indução significa aproximadamente a metade do gasto de energia da vitrocerâmica. No entanto, o seu custo é maior e precisa de recipientes específicos.

As vantagens para cozinhar é que esse tipo de placa permite aumentar a temperatura com exatidão.

Escolher bem a cozinha: conclusão

São muitos os aspectos a serem levados em conta na hora de escolher bem a cozinha. Anote e não se esqueça de nenhum deles. Pense sempre na praticidade.

Considere também o seu orçamento, fazendo com que a sua cozinha se adapte a ele sem diminuir a sua qualidade.