A cadeira Panton: plasticidade e dinamismo

11 de fevereiro de 2020
Um dos recursos decorativos mais populares no mundo do design de interiores é a cadeira Panton.

Ao longo da história do design de interiores, se destacaram vários designs de móveis que representaram um antes e um depois para o mundo da decoração. Este é o caso da cadeira Panton: plasticidade e dinamismo.

A cadeira Panton, também conhecida como “S Chair”, é considerada uma obra-prima do dinamarquês Verner Panton, pois foi a primeira cadeira feita inteiramente de plástico em uma única peça. É caracterizada por sua sinuosa forma em S e pelo brilho de suas cores.   

Esta criação é um dos designs de móveis mais fascinantes do século XX. Apesar de sua idade considerável, essa cadeira atemporal ainda parece extravagante e intrigante; isso faz dela um complemento excelente para qualquer interior moderno ou clássico.

A cadeira Panton, um desafio para a gravidade.

Os anos 60: a ascensão do design

plasticidade e dinamismo

Esta cadeira moderna foi criada pelo designer Verner Panton na década de 1960. Este foi um período de mudanças sem precedentes, cheio de distúrbios políticos, sociais, culturais e, sem dúvida, estéticos.

Todos esses movimentos deixaram uma marca no mundo do design, dando origem a novas formas de pensar e desencadeando uma criatividade nunca imaginada.

A todas essas mudanças sociais, deve-se acrescentar o grande progresso tecnológico desenvolvido durante esses anos, que promoveu um espírito otimista que incentivava a sociedade dizendo que “tudo é possível”. De fato, esse foi o lema de toda uma geração dedicada às artes e ao design.

Seguindo essa nova mentalidade, desenvolveu-se toda uma demanda por novas formas imaginativas, cores brilhantes e, ao mesmo tempo, novos materiais.

Existia todo um movimento que se rebelava contra todos os valores estabelecidos e os substituiu por outros, como o progresso e o design.

Nesse contexto de mudanças, surgiu um movimento cultural associado à pop art, que reivindicava uma nova estética, efêmera e produzida em massa.

A importância da variedade de cores na cadeira Panton

A cadeira Panton: plasticidade e dinamismo

O uso de novos materiais sintéticos possibilitou a produção em massa de muitos produtos mais baratos. O próprio Panton se certificou de que a sua cadeira fosse produzida em uma infinidade de cores, para que o seu consumidor pudesse escolher a cor perfeita.

Dessa forma, as pessoas passaram a rejeitar a ideia de adquirir móveis para a vida toda e começaram a seguir as modas atuais fornecidas pelos designers. O resultado foi a ascensão do design.

A vanguarda do design

A cadeira Panton: plasticidade e dinamismo

Cadeiras Panton / latienda.monty4.com

A cadeira Panton é um reflexo fiel da mentalidade do design experimental dessa época:

  • O seu design futurista e seus materiais inovadores colocaram esta cadeira como uma das melhores referências na história do design.
  • Forma original que irradia igualmente dinamismo e elegância. Embora a cadeira pareça uma obra-prima da arte moderna, ela é totalmente funcional e muito confortável.
  • A sua estrutura é projetada de forma a corresponder às curvas de um corpo humano. O formato perfeito da cadeira, sem juntas, a torna muito robusta e estável. A cadeira é moldada por extrusão em uma única peça.
  • A sua forma a torna empilhável, o que facilita o seu armazenamento. A aparência geral da cadeira a torna especialmente atraente. Ainda hoje, mais de cinco décadas após a sua criação, a cadeira Panton não envelheceu, continua parecendo inovadora e contemporânea.

As repercussões da cadeira Panton

plasticidade e dinamismo

Cadeira Panton / vitra.com

O design da cadeira não passou despercebido por ninguém; a originalidade de suas formas e a leveza de seu material causaram um rebuliço, tanto no mundo do design de interiores quanto no mundo da moda.

Esse fato fez com que essa peça possa ser encontrada em muitas coleções de museus e como referência de design em revistas de decoração.

Embora a cadeira Panton sempre tenha tido o reconhecimento dos designers, fato pelo qual ela recebeu prêmios internacionais, não se pode negar que, na década de 90, ela tenha experimentado um segundo auge, especialmente no campo da moda e da mídia.

Durante essa década, a cadeira ganhou grande popularidade, sendo considerada a cadeira mais sexy do mundo graças à sua aparição na capa da Vogue, com Kate Moss sentada nua sobre ela, na famosa fotografia de Nick Knight.

Atualmente, a cadeira Panton foi reinventada graças a uma nova tecnologia que permite que a sua produção seja mais econômica e acessível para qualquer bolso.  

  • Pesudo Chiva, María Carmen: Formas curvas alabeadas, Cultivalibros, 2009.