O estilo versalhês: uma decoração galante

9 de setembro de 2019
O estilo versalhês pode servir de inspiração para transformar a sua casa em um espaço onde a estética galante predomine.

Quando falamos de elegância, temos que tomar como referência o mundo do design de interiores francês, mais especificamente o estilo versalhês. É nesta área que poderemos encontrar um grande número de recursos que podem ser aplicados às casas.

Porém, não se trata de transformar a nossa casa em um palácio barroco, onde absolutamente todos os espaços sejam sobrecarregados. A ideia é pesquisar, observar e aprender, a fim de extrair o melhor deste estilo e também para sabermos como incluí-lo em uma casa.

A elegância é um conceito que oferece muitas conotações. O conteúdo oferecido a nível decorativo é muito amplo; mas o que podemos esclarecer é que há uma estética que difere de outros estilos mais atuais, como o minimalista ou o rústico.

O Palácio de Versalhes e sua história

O Palácio de Versalhes e sua história

O Palácio de Versalhes é configurado como um complexo arquitetônico no qual diferentes soluções arquitetônicas típicas do barroco francês foram combinadas. A sua construção data da segunda metade do século XVII, tendo várias fases. Está localizado próximo a Paris, na cidade de Versalhes.

Luís XIV, também conhecido como o rei Sol, ordenou a construção desta obra grandiosa, que busca refletir o poder real. A ideia é mostrar a importância que a França estava adquirindo em um período agitado, no qual os grandes impérios europeus tentavam abrir caminho no continente.

Pois bem, este palácio será o exemplo fiel da decoração galante. Ou seja, um ambiente onde predominam o dourado, as curvas, a diversidade de linhas e a estética elegante. Tudo deve estar em harmonia com o papel da coroa e o esplendor da família real.

Dessa forma, a glória é refletida na estética do palácio.

O quarto de estilo versalhês: um ambiente dos sonhos

O quarto de estilo versalhês, um ambiente dos sonhos

Quarto / es.123rf.com

Provavelmente, ao contemplar a decoração do quarto do rei, você poderá se sentir oprimido devido à redundância de elementos de diferentes tipos. Isto é, há uma sobrecarga exagerada do espaço, tentando preencher todos os cantos.

  • O ponto mais atraente deste quarto é a cama, escondida até certo ponto pelo dossel. O que se busca aqui é o seu isolamento para, dessa forma, eliminar qualquer raio de luz. Hoje em dia, muitas lojas de decoração vendem dosséis semelhantes.
  • Por outro lado, há o papel de parede, um recurso que começou e se desenvolveu neste palácio. A sua aparência é realmente significativa, tentando cobrir a estrutura arquitetônica e embelezando o exterior.
  • Por sua vez, o estilo versalhês sempre tenta dar importância ao piso. Este está coberto por tapetes que fornecem calor e oferecem uma estética barroca através de estampas vegetais, rocalhas e linhas curvas.

Lustres que se destacam o máximo possível

Lustres que se destacam o máximo possível

Uma exigência direta do rei Luís XIV é que houvesse uma iluminação forte, que permitisse que todos os dourados brilhassem e que todos os cantos do palácio pudessem ser contemplados perfeitamente. Para isso, ele solicitou lustres de alta qualidade.

O mais curioso de tudo é que o estilo versalhês foi o claro predecessor das luminárias elegantes que temos nas nossas casas atualmente. Em algum momento, todos nós já entramos em uma casa na qual se buscava uma aparência elitista, usando lustres semelhantes aos deste palácio com essa finalidade.

Na verdade, nós não inventamos nada. Essa concepção já estava sendo feita na França na época do barroco. Eles tentaram combinar luz, cristais e dourado com a intenção de mostrar relevância social e, acima de tudo, magnificência.

O vermelho não pode faltar no estilo versalhês

O vermelho não pode faltar

Decoração de Versalhes / bienvenue.chateauversailles.fr

Obviamente, a cor vermelha é bastante marcante, em todos os sentidos. No entanto, devemos visualizá-la no contexto palaciano, porque ali, ela oferece uma aparência elegante que, combinada com o dourado, se torna uma cor muito interessante para os interiores.

Tanto os móveis (principalmente os assentos) quanto as cortinas têm uma grande presença do vermelho. Um exemplo muito claro é o quarto da Imperatriz que, além disso, também mostra certa sensibilidade e paixão por meio dessa cor.

Em suma, luz e força é o que se tenta oferecer através do estilo versalhês. Procura-se por uma estética galante, de acordo com a localização natural do palácio.

  • Van der Kemp, G.: Versalles: el palacio, el parque y los trianones, Casa Editora de Arte Lys, 1976.