Pisos flexíveis: conforto e aconchego para a sua casa

28 de março de 2020
Você achava que a flexibilidade era uma qualidade apenas dos bons atletas? Isso não poderia estar mais longe da realidade. Continue lendo e você verá que esta também é uma qualidade de alguns pisos.

Alguns aspectos que podemos destacar sobre os pisos flexíveis são: a facilidade de instalação, baixo custo e a grande vantagem de funcionar como isolantes térmicos e acústicos.

Além disso, a resistência à umidade e a facilidade de limpeza tornam os pisos flexíveis uma excelente opção para cozinhas, quartos, áreas de estar, corredores…  

Pisos flexíveis: uma opção segura

Diferentes graus de flexibilidade coexistem no amplo grupo desse tipo de piso: revestimentos têxteis – tapetes e carpetes – e cortiça estão entre os mais macios. No entanto, linóleo e vinil são considerados semiduros.

Quando se quer evitar um grande investimento, ou se o objetivo for reformar a casa sem fazer grandes obras, esse tipo de piso é a melhor opção para atingir o nosso objetivo.

Eles são simples de instalar. Geralmente são vendidos em rolo, lâminas ou placas e também são muito fáceis de limpar e manter. Eles são extremamente práticos e baratos e também têm a vantagem de oferecer um número infinito de possibilidades decorativas.

A seguir, veremos alguns dos pisos flexíveis de maior destaque. Tome nota, pois certamente o ajudaremos a tomar uma decisão.

Carpete

Pisos flexíveis

Com um toque agradável, o carpete é muito comum em residências em climas frios pelas suas propriedades de isolamento térmico. Outra vantagem é que eles amortecem o ruído.

Os carpetes são feitos com materiais naturais, como a lã; e sintéticos, como o nylon. É necessário lembrar que os sintéticos às vezes geram eletricidade estática.

Por outro lado, deve-se dizer que o carpete tem baixa resistência à umidade e dura menos que outros pisos flexíveis – em média, entre cinco e sete anos. Quanto mais denso, mais durável será o carpete.

A sua instalação é simples e ele pode ser adquirido em rolo ou em placas. Estas últimas são mais difíceis de colocar, mas têm a vantagem de que as junções ficam perfeitamente camufladas e podem ser substituídas se estiverem danificadas.

Uma desvantagem é que eles ficam manchados facilmente. Para conservá-los, basta passar o aspirador periodicamente, embora será obtido um melhor rendimento se forem limpos com detergente líquido uma vez por ano.

Tapetes de fibra natural

Pisos flexíveis

Eles são feitos com fibras vegetais, como junco, coco, sisal, juta e outras fibras naturais. Eles resultam em pisos sofisticados e podem ser instalados como os carpetes.

Ao contrário do carpete, os tapetes de fibra natural não têm urdidura ou trama, eles são trançados. Quanto mais apertado o trançado, mais resistentes serão, embora eles não se destaquem por esse aspecto.

Eles geralmente não são tingidos, pois apresentam belos tons naturais. Um dos seus principais atrativos é a textura, que varia muito de acordo com a fibra utilizada, que pode ser macia ou áspera.

Não são fáceis de limpar, portanto, é interessante comprá-los já tratados com um produto antimanchas.

Outros pisos flexíveis: cortiça

Cortiça

É um material natural feito com a casca do sobreiro. É comercializada em lâminas ou placas que devem ser envernizadas após a instalação, se não tiverem sido seladas anteriormente.

Pode ser pintada, embora geralmente apresente atraentes tons de marrom. Barata e durável, é também um isolante acústico e térmico. Por essas qualidades, é especialmente indicada para quartos infantis e áreas de passagem da casa.

Pode ser limpa com detergente neutro e deve ser muito bem varrida para que não seja riscada com areia ou outros detritos que possam estragá-la.

Vinil

Pisos flexíveis

É basicamente feito de PVC e é o mais barato dos pisos. Há uma extensa gama de cores e texturas, com motivos originais, relevos e até mesmo desenhos ou fotografias cobertos com uma camada superficial transparente.

Se tratado adequadamente, resiste bem à umidade e é muito fácil de limpar com um detergente neutro e um esfregão úmido. No entanto, queima e sofre arranhões com alguma facilidade.

Outras desvantagens do vinil são: pode causar intoxicação por inalação em caso de combustão e, por causa do seu conteúdo de PVC, é prejudicial ao meio ambiente.

Este material não envelhece bem e adquire uma aparência descuidada que exige a sua renovação. Quando instalado em placas, alguns danos específicos podem ser reparados sem problemas e é possível combinar as diferentes cores ou criar bordas.

Linóleo

Linóleo

Tem um acabamento semelhante ao vinil, mas de qualidade superior. Apresenta-se com uma gama muito variada e original de designs que fazem dele um material muito atraente e atual.

O linóleo é ignífugo, antialérgico e antiderrapante. É instalado em lâminas ou placas. Tem uma resistência média, pois apodrece se houver infiltração de água e, ao longo dos anos, ele endurece.

É amplamente utilizado em hospitais, pois garante a higiene por causa das suas qualidades antibacterianas, além de ser muito fácil de limpar. Recomenda-se o uso de detergente neutro e um pano úmido para a limpeza.