O ginásio Maravillas, um clássico da arquitetura

4 de março de 2020
O mestre da arquitetura espanhola Alejandro de la Sota nos deixou há mais de vinte anos, mas o seu legado continua presente. O ginásio Maravillas faz parte do seleto grupo de edifícios que marcaram a história da arquitetura espanhola.

O ginásio Maravillas é um clássico da arquitetura moderna espanhola, construído em 1962. Este edifício localizado em Madri é o produto da busca de respostas para a difícil topografia do terreno.

A proposta compensa uma diferença de nível de até 12 metros entre as ruas Guadalquivir e Joaquín Costa, em Madri. Além disso, de la Sota propõe um programa muito completo e o resolve de uma maneira inteligente.

O projetista toma muito cuidado com os detalhes da construçãotenta resolver o edifício através de uma modulação muito estudada. Essa modulação se reflete nas janelas do edifício, dando uma ideia clara do todo.

Em um terreno marcado por seu declive acentuado, a escola Maravillas encomendou a ampliação de sua sede e a construção do ginásio ao arquiteto Alejandro de la Sota. O grande acerto do arquiteto está no aproveitamento da encosta do terreno.

Essa condição do terreno obrigava a construção de um espaço poliesportivo ou ginásio. Portanto, era preciso construir um grande edifício, com um único espaço, com uma entrada de luz lateral diferenciada.

Conceito do ginásio Maravillas

O ginásio Maravillas, um clássico da arquitetura

Ginásio Maravillas / urbipedia.org

O ginásio Maravillas é, sem dúvida, um dos edifícios mais importantes da arquitetura espanhola do século passado. A ideia surgiu para compensar o desnível de 12 metros entre a escola e a rua Joaquín Costa. Todo o programa do ginásio é desenvolvido sob a extensão do pátio da escola, localizado no nível superior.

A cobertura do ginásio é composta por um sistema de grandes treliças perpendiculares à fachada, nas quais existem várias salas de aula. Essas salas são iluminadas, assim como o ginásio, pela mesma abertura horizontal da fachada.

As salas de aula na cobertura do ginásio usam a forma parabólica das treliças para implementar um arranjo semelhante a um auditório. A fachada é uma mostra de abstração e austeridade, sem um estilo definido, mas que não é indiferente ao seu ambiente urbano.

Na frente, encontramos uma série de mirantes exteriores, que devolvem a escala urbana ao grande painel da fachada do ginásio. A fachada é encimada pela cerca de proteção do pátio.

Há um diálogo amigável entre as amplas aberturas e as paredes de tijolo; a cobertura termina em uma claraboia inclinada, mirantes e a estrutura metálica. O objetivo de Alejandro de la Sota era alcançar, através de uma arquitetura simples, a pureza das formas e materiais.

“… sempre gostei de falar de arquitetura como diversão; se não é feita com alegria, não é arquitetura. Essa alegria é, justamente, a arquitetura, a satisfação que é sentida. A emoção da arquitetura faz sorrir, faz rir. A vida não”.

Alejandro de la Sota

Programa arquitetônico do ginásio Maravillas

O ginásio Maravillas, um clássico da arquitetura

Ginásio Maravillas / urbipedia.org

Acessos

No ginásio, encontramos dois acessos, um inferior, a partir da rua, e outro superior, a partir do pátio da escola, ou seja, da cobertura do ginásio.

Porão

No porão, no nível da rua, encontramos os vestiários do ginásio, uma piscina aquecida e um campo de treinamento, usado para o hóquei sobre patins.

Planta baixa

Na planta baixa, encontramos uma quadra polivalente (basquete, vôlei, handebol, entre outros), além de espaços e escritórios para os professores de ginástica e outros esportes.

Entre o primeiro e o segundo andar

Aqui está localizada uma série de salas para eventos. Esses espaços são usados ​​para celebrar diversos eventos, desde reuniões de ex-alunos até aulas específicas, como as de psicotécnica (explora e classifica as aptidões dos indivíduos através de testes apropriados).

Planta alta

Na planta alta, estão localizados espaços de apoio à aprendizagem, como o Museu de Ciências Naturais e Físicas, bem como salas de conferência. Também encontramos salas dedicadas a jogos, música e leitura.

Pátio superior

Finalmente, este pátio está localizado na cobertura do ginásio e é a extensão do pátio original da escola. Aqui são praticados jogos e esportes ao ar livre.

Estrutura do ginásio Maravillas

O ginásio Maravillas, um clássico da arquitetura

Ginásio Maravillas / es.wikipedia.org

No porão, encontramos uma estrutura de concreto; no restante do ginásio, a estrutura é feita de ferro, com um design simples. De la Sota colocou um pilar na fachada e outro próximo ao desnível do terreno. É nesses pilares que uma viga triangular com uma grande borda está apoiada, com o cordão superior reto e o inferior curvo.

Na área da quadra polivalente, existem pilares de oito metros de altura, que estão separados a uma distância de seis metros entre eles. Esses pilares suportam uma viga “tipo ponte” de 20 metros de comprimento.

É sob essa viga que encontramos o ginásio e ela resgata a luz necessária com o espaço interno resultante. Este espaço aproveita a maior altura das extremidades para ter uma arquibancada na parte norte e é através da parte sul que encontramos a entrada de luz natural.

Assim, a arquitetura de Alejandro de la Sota mostra-se lacônica e austera, de uma qualidade magnífica, o que lhe concedeu o seu lugar na história da arquitetura espanhola. O ginásio Maravillas é o símbolo de uma era brilhante da arquitetura do século XX.